Entenda o que é e como prevenir a doença do carrapato

O QUE É?

É uma infecção causada por hemoparasitas que atacam o organismo do animal e se não for tratado pode levar à morte. Gatos e seres humanos raramente são contaminados, mas não é impossível. Ainda não existe vacina para esta doença, por isso se torna ainda mais perigosa. Ela se apresenta de duas maneiras: erliquiose e babesiose. Ambas são transmitidas pelo carrapato marrom (Rhipicephalus sanquineus), que se aloja no corpo do animal, picando-o e se alimentando do seu sangue.

CAUSAS

O nome doença do carrapato já aponta o meio de transmissão: o carrapato marrom. Ele se prolifera em lugares úmidos e quentes, por isso é fundamental aumentar a prevenção nessa época do ano. Os sintomas desse mau são:

  • destruição dos glóbulos vermelhos;
  • coceiras excessivas;
  • dermatite alérgica;
  • anemia séria e a redução do fluxo de oxigênio para os órgãos;
  • urina escura;
  • mucosas brancas ou amareladas;
  • olhos amarelados;
  • apatia e falta de energia;
  • perturbações nervosas;
  • febre;
  • perda de peso;
  • sangramento nasal;
  • vômitos.
  • Em fases mais graves: cegueira, depressão e facilidade de contrair outras infecções.

FASES DA DOENÇA

Fase aguda

De uma a três semanas após a infecção, o animal pode apresentar os primeiros sintomas que costumam ser falta de apetite, febre, desânimo e sangramento nasal.

Fase hiperaguda

Atinge principalmente os filhotes, pois ainda não tem o sistema de defesa formado. Nesta fase ocorrem choque com hipotermia e falta de oxigenação nos órgãos e tecidos. Poucos animais conseguem se recuperar nessas situações.

Fase subclínica

Pode durar de 6 a 10 semanas, o cão não costuma apresentar sintomas clínicos. É possível identificar alterações apenas por meio de exames de sangue.

Fase crônica

Nesse momento o animal está bastante debilitado, podem apresentar abdômen dolorido e sensível; aumento do baço, fígado e dos linfonodos; e pequenas hemorragias.

PREVENÇÃO

  • Observe periodicamente a pelagem do animal, principalmente após os passeios;
  • Limpe o ambiente em que ele vive,  aplique inseticidas no local e retire o cão para que ele não se intoxique;
  • Utilize pipetas, coleiras e comprimidos contra carrapatos, conforme recomendação do fabricante;
  • Caso seu cão seja adulto e saudável, banhos com carrapaticida aplicados preferencialmente por um profissional, serão de grande ajuda;
  • Carrapatos costumam subir pelas paredes e procurar frestas e cantinhos onde possam se esconder. Poucos ficam ao nível do solo, então, use uma bombinha de aspersão para os locais mais altos;
  • E atenção: não existe vacina contra esse mal. O que popularmente se chama de “vacina do carrapato” é um produto usado em certas dermatopatias específicas. O uso indiscriminado dele pode inclusive destruir células do fígado do animal.

Crédito: DogHero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *